Acesso Facil
Buscar

 Meio Ambiente 


Para a Honda, o compromisso ambiental vai além das obrigações legais: seu objetivo é atender às demandas da sociedade de forma sustentável. Ciente dos impactos que suas atividades podem causar ao meio ambiente, a empresa estabelece uma busca contínua por melhorias que possam reduzir esses efeitos sobre a natureza.


Green factory

Dentro dos padrões de performance ambiental traçados pela Honda, o conceito Green Factory, ou fábrica ecológica, abrange o gerenciamento do processo produtivo nas fábricas a partir de diretrizes sustentáveis, que contemplam gerenciamento de resíduos, eficiência energética, uso racional da água e redução de emissões atmosféricas. São ações mundiais, aplicadas nas fábricas de motocicletas, em Manaus (AM), desde 2000, e de automóveis, em Sumaré (SP), desde 2008.

Gerenciamento de resíduos

Um dos compromissos ambientais da Honda é o gerenciamento de resíduos. Para cumprir esse objetivo, a empresa investe na melhoria de processos e no reaproveitamento e na reciclagem de materiais. Nas fábricas, os materiais descartados passam por etapas de classificação e separação, sendo, então, destinados à reutilização em outros processos.


Eficiência energética

Manter a eficiência no uso dos recursos energéticos também está entre as iniciativas ambientais da Honda. A empresa adota uma série de medidas visando à conservação da energia, como monitoramento do consumo, redução de perdas por desperdício, melhorias de processos e utilização de energias alternativas.

 


Honda Energy

Para se adequar à meta de reduzir em 30% as emissões de CO2 até 2020, a Honda Automóveis do Brasil (HAB) anunciou a construção do primeiro parque eólico da marca no mundo. Para a operação do novo empreendimento, que será localizado na cidade de Xangri-lá (RS) e irá suprir toda a demanda de energia elétrica da fábrica de carros de Sumaré (SP), foi criada a Honda Energy do Brasil.

A energia eólica será produzida por nove turbinas de 3MW, com capacidade instalada de 27MW. Isto representará a geração de 95.000 MWh/ano, o equivalente ao consumo de cidades como Aparecida e Barra Bonita (SP), com população estimada em 35 mil pessoas. Após o início das operações do parque, previsto para setembro de 2014, a Honda deixará de emitir cerca de 2,2 mil toneladas de CO2 por ano, ou seja, cerca de 30% do total gerado pela fábrica. Com essa iniciativa, a Honda se torna a primeira fabricante de automóveis a produzir energia eólica no país. 

 


Uso racional da água

A Honda promove um trabalho constante, que visa à redução do consumo, ao tratamento de efluentes e à reutilização da água, por meio das ETEs (Estações de Tratamento de Efluentes) e das ETAs (Estações de Tratamento de Água), instaladas nas fábricas de Manaus (AM) e Sumaré (SP). Os sistemas de tratamento dessas estações permitem a devolução da água ao meio ambiente em condições adequadas de descarte.


Redução de emissões atmosféricas

 

Em junho de 2011, foi anunciada a meta de redução de emissões globais de CO2 dos produtos Honda (automóveis, motocicletas e produtos de força) de 30% até 2020, tomando como base os níveis do ano 2000. O desafio foi estabelecido após a companhia atingir diminuição de 10% entre 2000 e 2010, conforme planejado. Isso reforça os compromissos de oferecer aos seus clientes a alegria da mobilidade pessoal e contribuir para uma sociedade sustentável por meio das tecnologias exclusivas Honda.

O nível de CO2 é constantemente monitorado nas fábricas de motocicletas, em Manaus (AM), e de automóveis, em Sumaré (SP), com a preocupação de acompanhar os patamares definidos de redução de emissões.

Como destaque, a Honda utiliza modernos sistemas de pintura eletrostática (com o uso de força magnética, que atrai a tinta para o material a ser pintado) em peças plásticas, o que reduz a emissão de compostos orgânicos voláteis (VOC) no ar.

Em Rio Preto da Eva (AM), a Honda preserva 801,60 hectares de mata nativa e 305 hectares de árvores derivadas de reflorestamento e frutíferas, e em Manaus mantém uma RPPN com 16,4 hectares. Ambas as reservas tiveram a capacidade de carboneutralizar 57.313 ton de CO2 , mais do que o dobro da emissão gerada na unidade fabril de motocicletas em 2013 (31.497 ton de CO2), finalizando o ano com saldo positivo de 25.818 ton CO2 .

 

Green Logistic

 

A busca pela preservação ambiental não se limita apenas à fabricação do produto. Para a Honda, sua responsabilidade vai muito além, incluindo o caminho que a matéria-prima e os componentes fazem para chegar até a fábrica e dar início à produção de automóveis, motocicletas e produtos de força, bem como a distribuição dos produtos fabricados para abastecer concessionárias e distribuidores de todo o país.

Chamado de Green Logistic, esse sistema logístico otimizado tem contado com o esforço contínuo da Honda, a fim de melhorar a eficiência em suas operações, promovendo o transporte modal e a integração com outras empresas parceiras. Esse trabalho conjunto com outras companhias visa reduzir o consumo de embalagens, promovendo a mudança dos materiais utilizados e dando preferência para embalagens retornáveis.

 Das motocicletas produzidas em Manaus (AM), 93% são transportadas em um sistema que reduz o volume de embalagens. Em 2013, deixaram de ser consumidos:

- 12,15 mil toneladas de madeira;
- 256,52 mil litros de óleo de proteção;
- 3,38 mil toneladas de papelão;
- 20,25 mil toneladas de aço.

Neste memso ano, as carretas bitrem e o sistema Shuttle foram expandidos e passaram a ser utilizados também no atendimento às fábricas, gerando uma redução de mais de 3.100 toneladas de CO2 que seriam emitidos no transporte de peças e motocicletas.

Na fábrica de automóveis, um dos destaques da área de logística, em 2013, foi a modificação do sistema Shuttle, que otimiza o uso dos racks, preenchendo com peças todos os espaços disponíveis e assim, reduzindo a quantidade de viagens. Com a implantação da ação foi possível reduzir de 114 deslocamentos por dia para 86, minimizando a emissão em 0,4 Kg de CO2 por automóvel produzido. 

O projeto de implantação de caminhões do tipo bitrem no sistema milk run contribuiu para a redução do volume de viagens diárias, e consequentemente, na emissão de CO2 nesta atividade. A previsão era diminuir de 42 viagens realizadas pelos 11 caminhões para 24 deslocamentos realizados pelas 5 carretas bitrem. Com a meta atingida, a redução da emissão chegou a 7,20kg de  por veículo produzido na planta. 

 

 


Embalagens

Uma inovação aliada à criatividade é a proteção dos discos de freio dos automóveis destinados à exportação, feita de plástico de garrafas PET, material 100% reciclável. Seguindo essa mesma premissa, os bancos dos automóveis são protegidos com plástico biodegradável, que leva apenas seis meses para se decompor no meio ambiente.

Os fornecedores da Honda têm um grande papel na preservação ambiental: 90% das peças e matérias-primas entregues na fábrica de motocicletas em Manaus (AM) contam com embalagens retornáveis para o transporte. Na fábrica de automóveis em Sumaré (SP), esse número sobe para 94%. Toneladas de papelão, plástico e madeira deixam de ser consumidas com a iniciativa.


Green Dealer

Ao oferecer a alegria de vender um produto para seus clientes, as concessionárias também buscam transmitir os ideais da Honda, inclusive no que refere a preservação ambiental. Em 2003, com o crescimento contínuo da rede de concessionárias e o aumento de resíduos gerados na prestação de serviços, a Honda iniciou o desenvolvimento de uma ação que evitasse impactos ambientais no pós-venda. O resultado foi a criação do Green Dealer, uma certificação emitida pela Honda às concessionárias de motocicletas e automóveis que destinassem 100% dos resíduos gerados de forma correta e eficiente. Ou seja, o que era uma simples ideia, tornou-se um importante diferencial competitivo para a Honda, não apenas em relação ao seu compromisso ambiental, mas também para cada um dos clientes e todos os envolvidos na rede de concessionárias e na área de pós-vendas.

No Brasil, 672 concessionárias já possuem a certificação Green Dealer, sendo 98 concessionárias de automóveis e 574 concessionárias de motocicletas.
Após a comprovação da destinação correta de todo o resíduo gerado na prestação de serviços, a concessionária recebe a certificação com validade anual, e como apoio, conta com um guia de referência quanto a instalações, procedimentos, capacitação da equipe e parcerias com fornecedores ambientalmente responsáveis.

 

Green Office

 

As unidades administrativas da Honda participam da iniciativa ambiental intitulada globalmente Green Office. São medidas que trazem resultados significativos e impactam na meta mundial de redução nas emissões, como coleta seletiva, sistema de impressão com uso de senha, reúso da água, automatização do uso do ar-condicionado e das luzes e uso preferencial do etanol na frota de automóveis com a tecnologia flex.