Encontrar uma concessionária

A conquista da América - parte 3: consolidar a liderança

O poder dos sonhos

As tradições, histórias e curiosidades da marca que mais entende de moto.

A conquista da América - parte 3: consolidar a liderança

Post Anterior O poder dos sonhos 26/07/2021
A conquista da América
Parte 3

Sem fazer fumaça, sem vazar óleo e sem gastar quase nada de combustível, a cinquentinha da Honda estabeleceu um novo padrão nos EUA. Fácil de pilotar e acessível às mulheres – o escudo frontal permitia o uso de saia sem nenhum inconveniente – a Honda Super Cub trazia uma praticidade até então desconhecida ao dia a dia de americanos e americanas.

A nova imagem colorida, leve e simpática, colocou a Honda 50 e seus novos usuários bem longe da agressividade dos motociclistas que dominavam o imaginário das pessoas. Os Hell’s Angel’s vestidos de preto deram lugar ao florido “Nicest People” da genial campanha publicitária.

O sucesso nas vendas depois do difícil começo foi comemorado na sede da American Honda, no acanhado endereço, 4077 da West Pico Blvd., em Los Angeles. Porém, mais do que festejar, o principal executivo da American Honda, Kihachiro Kawashima, precisava trabalhar: disseminar distribuidores, reforçar a infraestrutura e, principalmente, investir em um serviço de pós venda perfeito.

A American Honda, que nos primeiros dois anos de operação sequer conseguira atingir a meta original de vender mil motos/mês, fechara o ano de 1962 entregando 40 mil motos, e em 1963 o salto foi para impressionantes 200 mil unidades. Uma sede maior, coerente com vendas (e expectativas) crescentes, era essencial para melhorar o trabalho e reforçar a imagem. E assim a American Honda foi parar em Gardena, ainda em Los Angeles, 20 km ao sul de onde tudo começou.

Casa nova, esforço renovado: Kawashima decidiu que era hora do tudo ou nada e investiu pesado em publicidade. Teve a ousadia de comprar o patrocínio da cerimônia do Oscar de 1964, ação que deu à Honda a honra de ser a primeira companhia estrangeira a ocupar um espaço publicitário na transmissão do “Academy Awards”. Os dois comerciais de 90 segundos cada custaram 300 mil dólares, cifra equivalente a 2,6 milhões de dólares atuais ou... o valor de 1.200 Honda Super Cub!

Valeu a pena? Certamente: a cerimônia do Oscar foi assistida em 80% dos lares, e com isso a Honda entrou, definitivamente, na mente dos americanos, e na sequência em suas garagens. Ter uma Honda virou moda, fosse ela a Super Cub ou uma de maior cilindrada, que pegaram carona no sucesso da cinquentinha.

Com uma visão apropriada, a de que o produto deve atender os anseios específicos de cada mercado, a American Honda logo criou um departamento de pesquisa e desenvolvimento local. Das pranchetas deste estúdio nasceram sucessos como as Trail 55 e 90 (também conhecida como Moto Honda CT-90) – uma Super Cub preparada para encarar terrenos ruins –, e muitas outras lendárias Honda.

A Z-50, também conhecida como Monkey/Mini-Trail, e a Dax 70 (ou ST), cujo guidão dobrável permitia levá-la no porta malas de um automóvel, foram outros exemplos marcantes. Mas a Honda também oferecia máquinas poderosas, como a Honda CB 450 DOHC, lançada em 1965, simplesmente a motocicleta mais rápida e tecnologicamente avançada do mercado à época.

Porém, a Honda que efetivamente nasceu pensada para os americanos, se tornou um dos modelos mais lendários da marca: a CB 750 Four, que apresentada em 1968 é considerada a 1ª genuína superbike da história da moto moderna. Soichiro Honda, antes avesso a motos grandes, logo entendeu que seus clientes dos EUA precisavam de algo literalmente colossal, e assim nasceu a grandiosa CB 750 Four.

A sucessão de acertos fez a American Honda, em 1970, superar a marca de 500 mil motos vendidas/ano naquele que era considerado o maior mercado do planeta, sagrando-se líder absoluta. Ela foi a responsável por mudar a imagem motocicleta, que passaram a ser vistas como veículos versáteis, úteis, desejáveis e, sobretudo, confiáveis e seguros.

Motos como a Honda Gold Wing – fabricada de 1980 até 2010 na planta de Marysville, Ohio –, os quadriciclos FourTrax, e uma infinidade de outros modelos nasceram tendo em mente as necessidades dos norte-americanos, e literalmente “ganharam o mundo”, sucessos que impulsionaram o desenvolvimento da empresa em escala mundial.

Vitoriosa nas pistas e nas vendas no maior mercado consumidor do planeta, capaz de enfrentar grandes desafios e solucioná-los, o sucesso da Honda foi definido pela aplicação inflexível da declaração de princípios da companhia: “Mantendo uma visão global, nos dedicamos a fornecer produtos da mais alta qualidade, a um preço razoável para a satisfação do cliente em todo o mundo”, missão esta extensiva a todas as operações da empresa mundo afora.