Encontrar uma concessionária

Como frear: off road

Na prática

Dicas de pilotagem, segurança e muito mais. Para você melhorar o desempenho e a performance e ainda ter mais prazer a bordo da sua motocicleta.

Como frear: off road

Na prática 11/01/2021

A série “COMO FREAR” agora traz as dicas sobre como deve ser a frenagem das motos off road no cenário para o qual elas foram criadas, ou seja, o fora de estrada, em desafiadores pisos irregulares e/ou de baixa aderência.

Como afirmado nos capítulos anteriores, toda teoria sobre técnicas de pilotagem só será efetiva se houver possibilidade de treiná-las de modo constante. Fazendo isso, o blábláblá ganha relevância acrescentando prazer e segurança à sua pilotagem.

A prática do fora de estrada é uma atividade muito difundida no Brasil, país privilegiado por ter uma grande variedade de terrenos e pouca ou nenhuma restrição a tal atividade. Como veremos na sequência, é uma baita escola para frear bem qualquer tipo de moto. Vamos as dicas.

1ª dica: como sempre nesta série “como frear”, começamos pelo básico, avisando que mesmo em piso de baixa aderência é o freio dianteiro QUE MANDA NA FRENAGEM, ou seja, é o mais efetivo para reduzir a velocidade na maior parte das situações. Todavia, a regra 70%-30% na distribuição da força frenante entre roda dianteira/traseira vai variar de acordo com as condições do piso – terra, lama, areia, pedrisco –, assim como por conta da situação em que ocorrerá a frenagem, se no plano, em subida, em descida ou até mesmo em curva.  

2ª dica: motos off road puras não tem sistemas de auxílio a frenagem como ABS ou CBS, porém, nada impede a prática do off road com uma moto trail equipada com tais sistemas. É importante verificar se existe a possibilidade de desligar o ABS ou, no caso de motos mais sofisticadas, se há opção de escolha de um modo de frenagem off-road no menu eletrônico. No fora de estrada, o ato de travar a roda traseira é benéfico em muitas situações, permitindo não apenas a redução de velocidade como o direcionamento da moto em curva, coisa que exige alguma experiência para ser posta em prática. Já motos dotadas de CBS não permitem que o sistema seja desativado, e assim é importante lembrar que o acionamento do pedal de freio sempre acarretará alguma ação do freio dianteiro.  

Image removed.

3ª dica: Quanto mais “solto” for o terreno, maior deverá ser a atenção ao acionar o freio dianteiro. Deste modo, é sempre recomendável iniciar a frenagem com o freio traseiro para depois atuar no freio dianteiro, lembrando que a perda de aderência da roda traseira é controlável, mas uma travada da roda dianteira significa quase sempre perda de controle.

4ª dica: mais do que em qualquer outra situação de utilização, no fora de estrada a frenagem deve ser absolutamente suave, atenta e progressiva. A necessidade de redução de velocidade imediata, emergencial, terá no freio traseiro seu maior protagonista. Porém, situações críticas à parte, considere sempre que o uso do freio-motor, ou seja, a redução de marchas, é um parceiro fundamental da tocada off road.

5ª dica: em descidas fortes e/ou prolongadas, alterne o uso do freio traseiro ao freio-motor. O objetivo é evitar o superaquecimento do freio, o que ocasiona perda de eficiência. Outro recurso de pilotagem que no fora de estrada ganha ainda mais importância é usar o freio traseiro como auxiliar para “fechar as curvas”. Não se trata de fazer a roda derrapar, mas o leve acionamento do pedal durante a curva atua de maneira positiva para fazer a moto girar para a direção onde você quer/precisa ir. 

Consideração final: praticar fora de estrada é uma das melhores maneiras de adquirir habilidade e controle de sua motocicleta. Na terra, a 15 ou 20 km/h, você aprenderá a controlar reações que pilotando no asfalto só aconteceriam em velocidades bem mais elevadas. Ou seja, rodar na terra ensina a domar a moto, e por consequência pilotar melhor no asfalto.

IMPORTANTE: a dica principal, para frear bem qualquer moto – off road, scooters, estradeiras ou trails – é treino, treino e mais treino. Pilotar bem onde quer que seja, qualquer tipo de moto, demanda tempo. Rodar na terra com uma off road pura como a CRF 250F ou mesmo com uma trail ensina muito. Frear em condições de baixa aderência, nas mais diversas condições de terreno, é uma escola sem igual. Poucos quilômetros feitos em qualquer trilhazinha de final de semana ensinam mais do que centenas deles na rodovia.  Premissa básica para rodar na terra: ir com calma, sem empolgação, aprendendo a “ler” as reações de sua moto aos comandos e diferentes tipos de pisos, e deste modo ganhar a necessária habilidade.