Encontrar uma concessionária

A estreia de Eric Granado no mundial de Superbike

Na Competição

Seja no asfalto, na terra, na lama ou na areia, a competição e o universo radical estão no DNA da Honda.

A estreia de Eric Granado no mundial de Superbike

Na Competição 09/11/2020

Muitos tentam, poucos conseguem, e entre estes privilegiados está o piloto brasileiro Eric Granado. Aos 24 anos, o tricampeão brasileiro da principal categoria nacional da motovelocidade – a Superbike Pro – conseguiu atingir um objetivo há muito tempo sonhado: no mês de outubro de 2020 estreou na última etapa da principal categoria do motociclismo dedicada à motos de série, o Mundial de Superbikes.

 

Não foi uma estreia qualquer a de Eric Granado. Com apoio da Honda Brasil o brasileiro foi integrado ao time satélite MIE Racing, para pilotar a novíssima Honda CBR 1000RR-R SP Fireblade, moto diferente daquela utilizada na disputa do Superbike Brasil, campeonato do qual Eric é tricampeão.

 

A falta de intimidade com a nova CBR 1000RR-R SP, versão de pista da Fireblade, não foi obstáculo para o trabalho de Eric. Apesar de jovem, o brasileiro é um piloto experiente: campeão Europeu da Moto2 em 2017, com passagens pelo Mundial da Moto3, Moto2 e vencedor de corridas em 2019 e 2020 na Copa do Mundo de MotoE, a categoria destinada a motos elétricas.

 

Durante o final de semana Granado evoluiu muito, marcando tempos cada vez mais rápidos, treino após treino no desafiador circuito de Estoril, em Portugal. Eric conseguiu se classificar com tempo praticamente igual ao de seu colega de equipe, o japonês Takumi Takahashi, que participou de toda a temporada 2020 do Mundial de Superbike, WorldSBK para os íntimos.

 

Na primeira corrida do final de semana – uma etapa do WorldSBK é articulada em três corridas, uma no sábado e duas no domingo -, Granado mostrou que não estava ali para brincadeira, conquistando um brilhante 15º lugar, marcando seu primeiro ponto no campeonato. Nas corridas do domingo foi respectivamente 18º na Superpole Race, espécie de classificatório em formato de corrida, e 16º na corrida final, à frente do experiente Takahashi, resultado considerado ótimo para um estreante na categoria, e que jamais havia competido com a nova Fireblade.

 

Quem conhece o mundo das competições de alto nível, soube valorizar a performance de Eric, que cumpriu os objetivos 1, 2 e 3 de um estreante: 1) se classificar, 2) não se acidentar, 3) terminar as corridas. A cereja do bolo foi o ponto conquistado, algo nada comum quando se trata de estreante no WorldSBK.

 

Ao final deste intenso, mas gratificante final de semana, Eric se disse satisfeito com o resultado, e impressionado com a alta tecnologia da nova Honda Fireblade, moto que mesmo sem conhecer plenamente lhe deu confiança para lutar com pilotos mais experientes e conseguir um resultado de relevo para um rookie em um campeonato tão competitivo como o WorldSBK.