Encontrar uma concessionária

Quando menos é mais

Primeiros passos

Nem todo começo tem que ser difícil: a experiência de quem sabe para aqueles que querem e precisam ficar sabendo.

Quando menos é mais

Primeiros passos 01/08/2018

Se você é um iniciante ao guidão é importante ter em mente que, por mais talentoso que seja, apenas a experiência – quilômetros rodados – irão garantir o pleno controle sobre sua motocicleta ou scooter. Quanto menor e mais leve ela for, tanto melhor para iniciantes.

O mercado é bem servido, com grande oferta de modelos de motos e scooters novos e usados. Tem para todos os gostos e bolsos. Por conta disso, a tentação de escolher algo mais imponente, que agrade aos nossos olhos e impressione a galera, é uma tentação a ser evitada, um erro.

Qual a melhor opção? Ser inteligente, sobretudo humilde e nem um pouco guloso. É preciso levar em conta o que já foi dito lá no começo, que somente o tempo permitirá dominar o guidão com propriedade. E para que isso aconteça quanto menor e menos potente for o veículo, tanto melhor. É o velho caso do “menos é mais”.

Com uma moto ou scooter pequena e leve as manobras são mais fáceis e os riscos em caso de erro, menores. O controle de um veículo que não é exagerado nem no peso e na potência acontece de maneira mais natural, o que é perfeito para quem ainda não desenvolveu todas as manhas.

A melhor forma de aprender é gradualmente, passo a passo, sem saltos traumáticos. O exemplo mais óbvio é o da escada: o melhor jeito de subir, de maneira segura, é pisando firme degrau por degrau, e não aos pulos pois um tropeço pode levar a um tombo.

A segurança que se conquista praticando em um veículo leve, cuja gestão da potência não represente uma ameaça, constrói uma sólida base de aprendizado. Permite focar em fundamentos importantes da condução de uma motocicleta ou scooter, como o equilíbrio em manobras de baixa velocidade, as mudanças de direção, a frenagem e a absolutamente necessária intimidade com os comandos. Antes de mais nada, saber sair da imobilidade de modo adequado e parar de maneira segura.

Motocicletas são meios de locomoção que, mais do que outros, exigem uma coordenação de movimentos afinada. O que de início parecerá muito complexo – acelerar, apertar a embreagem, trocar de marcha, ligar o pisca, reduzir, frear e… começar tudo de novo – com o tempo entra em “modo automático”. Tudo isso e mais um pouco será feito sem pensar, instintivamente. Mas para alcançar esse automatização de modo seguro o melhor caminho é começar com modelos simples, leves e de potência limitada.