Encontrar uma concessionária

Como frear: trails

Na prática

Dicas de pilotagem, segurança e muito mais. Para você melhorar o desempenho e a performance e ainda ter mais prazer a bordo da sua motocicleta.

Como frear: trails

Na prática 08/02/2021

O terceiro capítulo da série “COMO FREAR” tratará das peculiaridades da frenagem das motos de uso misto, as chamadas trail.

Como nos capítulos anteriores, é importante lembrar que estas indicações teóricas exigirão treino constante para aprender como frear uma moto corretamente, e  efetivamente adicionar mais técnica à sua pilotagem. O pleno domínio de sua moto é um importante fator de prazer, o que aumenta a segurança.

As motos Trail têm duas particularidades que as diferencia das estradeiras em geral: pneus de uso misto e suspensões de curso mais elevado. Vamos às dicas.

1ª dica: nas trail também é o freio dianteiro QUE MANDA NA FRENAGEM. A clássica recomendação de distribuir a frenagem na proporção de 70% de intensidade para o freio dianteiro e 30% para o traseiro é a que vale. 

2ª dica: é fundamental usar de sensibilidade para entender como se comporta cada comando de freio. Se nova, sua moto terá freio ABS ou CBS, sistemas que ajudam na hora de frear, mas não fazem milagre. Mais antiguinha? Freios convencionais, ou seja, alavanca atuando no dianteiro e pedal no traseiro. O conselho é o de sempre: escolher um local tranquilo e treinar com o objetivo de entender como cada comando atua.   

3ª dica: motos trail são, em geral, mais altas. Isso acarreta um centro de gravidade elevado, que exigirá uma postura ao guidão que compense os efeitos negativos deste aspecto em frenagens mais fortes. O que fazer? Deslocar o corpo para trás em frenagens fortes ajuda a estabilizar qualquer moto, mas nas trail tal atitude é ainda mais crucial.

4ª dica: o curso mais elevado das suspensões das trail também obrigará a uma frenagem que leve em consideração tal característica. O afundamento da suspensão dianteira na comparação com outros tipos de motos é maior, e inevitável, mas isso não afeta a capacidade de parar das trail, só exigindo uma ação específica. Aplicar a pressão no comando de freio dianteiro requer maior progressividade na primeira fase da frenagem para, na sequência, usar a força máxima quando a frente da moto estiver assentada.

5ª dica: os pneus mistos que equipam as trail têm um desenho específico na banda de rodagem, que prevê comportamento equilibrado, adequado ao asfalto e à terra. Esta “dupla personalidade” tem seu lado bom, a versatilidade, e um lado menos bom, um comportamento que precisa ser compreendido. No asfalto, pneus mistos têm performance levemente inferior a pneus direcionados para uso apenas em asfalto, porém, em situações de piso molhado, sujo, ou de baixa aderência (terra, pedrisco, areia), os pneus mistos, também chamados on-off, oferecem melhor desempenho.  

Consideração final: uma outra característica das trail é ter a roda dianteira maior em relação à roda traseira, o que é positivo nas frenagens em piso irregular. Idem com relação ao guidão, mais largo e elevado, que auxilia no controle e no posicionamento indicado na dica nº 3. Outra peculiaridade das trail que ajuda em frenagens é o banco, que em geral avança sobre o tanque, permitindo um melhor encaixe de piloto com o veículo.    

IMPORTANTE: frear corretamente depende de treino. A teoria transmitida pelas dicas só será efetiva se posta em prática com método e frequência. Treinar frenagem é para sempre, uma atitude de pilotagem importante para novatos e experientes. Fora tudo isso tem a manutenção correta (pneus, suspensão e, claro, pastilhas e lonas) e lembrar que prevenir é sempre melhor do que remediar.