Encontrar uma concessionária

Manutenção de moto: 5 minutos por semana te livram de problemas

Na Garagem

Dicas de funcionamento e manutenção, acessórios e equipamentos de pilotagem e tudo que você precisa saber para cuidar bem da sua motocicleta.

Manutenção de moto: 5 minutos por semana te livram de problemas

Na Garagem 25/08/2021

Tempo é dinheiro. Esta frase é manjada e tem um grande significado inclusive quando o assunto é moto, ou melhor, a manutenção de moto.

Não é preciso ser um especialista em mecânica para incorporar na rotina semanal meros cinco minutos que vão te salvar de muita despesa. Na verdade, basta ser atento, e realizar uma prévia visual de itens que merecem uma manutenção preventiva.

Esta inspeção rápida não exige, como dito, conhecimento mecânico, ferramentas, espaço físico para “colocar a mão na massa”, mas apenas critério e periodicidade.

É claro que esta breve inspeção semanal pode ser seguida de intervenções práticas que, dependendo de sua habilidade, podem economizar alguns trocados. Mas de todo modo o recado aqui é o seguinte: acostume-se a inspecionar sua moto semanalmente e evite problemas.

Itens a serem inspecionados na manutenção básica de motos:

PNEUS – Verifique o estado da banda de rodagem quanto ao desgaste. Quanto à parte lateral, qualquer corte ou deformação exige uma análise mais aprofundada, para identificar se trata-se apenas de dano superficial ou se a estrutura foi atingida, condenando o pneu.

RODAS – Nas rodas raiadas, seja as de aros de aço ou alumínio, verifique a tensão dos raios apertando-os com a ponta dos dedos. Todos devem estar com uma tensão uniforme – não pode haver raios mais frouxos do que outros. Os aros não podem ter amassados, um aspecto ainda mais importante nas rodas de liga leve, que geralmente são equipadas com pneus sem câmara. Um amassado para este tipo de roda pode representar pneu perdendo pressão.

VAZAMENTOS – Acostume-se a olhar o solo sob o motor para identificar eventuais vazamentos de óleo. Caso você não tenha um lugar fixo onde a moto fique estacionada, agache e procure por sinais de vazamento que, costumeiramente, podem aparecer no chamado bujão do cárter – a porca que é retirada para o escoamento do óleo quando da troca – ou nas juntas do motor.

SUSPENSÕES – Na dianteira, o sinal mais claro que há um retentor de óleo precisando ser trocado são linhas pretas de pó misturado a óleo que se forma na bengala da suspensão. Já na traseira, o amortecedor (ou amortecedores) não podem parecer melados, com pó preto aderido, o que é sinal de vazamento de óleo do conjunto.

TRANSMISSÃO – Checar a tensão da corrente e sua lubrificação é rápido e fácil. A corrente não pode nem estar nem frouxa e nem esticada demais. E quanto a lubrificação, óleo em spray nela!

LUZES – A inspeção mais simples, e talvez mais importante, a se fazer. Farol baixo/alto, piscas e luz de lanterna/freio. Tudo deve estar funcionando, assim como a luz de placa e de painel/luzes-alerta.

Pronto! Rapidamente você descobriu que poderá rodar tranquilo. Caso tenha encontrado algum problema, não foi pego de surpresa. Ou seja, cinco minutos ou nem isso com a manutenção preventiva em motos que te livram de problemas.