Encontrar uma concessionária

Motocross mundial - Domínio Honda na MXGP

Na Competição

Seja no asfalto, na terra, na lama ou na areia, a competição e o universo radical estão no DNA da Honda.

Motocross mundial - Domínio Honda na MXGP

Na Competição 09/10/2019

Para o piloto esloveno Tim Gajser a temporada de 2019 da principal categoria do motocross mundial, a MXGP, foi inesquecível. Aliás, como foram as temporadas de 2016 e 2015. Ponto em comum entre todos estes anos? A conquista do título de campeão mundial de motocross. Outro importante ponto em comum? Ter em suas mãos o guidão de uma Honda.

Com apenas 23 anos recém-completados, piloto oficial do poderoso Team HRC – a equipe de fábrica da Honda –, o jovem Gajser chega ao ápice de uma carreira que ainda poderá levá-lo à grandes conquistas na modalidade que é considerada das mais espetaculares do motociclismo mundial.

O primeiro título mundial de Tim Gajser foi alcançado com uma Honda CRF 250R na categoria MX2, categoria de acesso à principal, MXGP. Foi um título combatido, ganho na marra por uma pequena margem na pontuação e com uma motocicleta não oficial, ou seja, uma CRF 250R igual à que qualquer um pode comprar.

Depois dessa primeira conquista veio a promoção à MXGP e o primeiro título mundial entre os gigantes do motocross. No entanto, foi neste campeonato de 2019 que Gajser mostrou sua força, vencendo nada menos do que 16 baterias entre as 36 disputadas.

Nesta temporada o esloveno teve à disposição a Honda CRF 450RW, onde o “W” no final da sigla significa “Works”, máquina “oficial” do HRC, protótipo que serviu de base para o desenvolvimento das motocross Honda que estarão à venda em 2020.    

Se para Tim Gajser a vitória na temporada de 2019 pode representar o início de um longo domínio no motocross mundial, para a Honda trata-se da continuidade do empenho de seu departamento de competições, o Honda Racing Corporation – HRC – em uma modalidade na qual a excelência técnica é colocada à prova de um modo cruel, pois nem sempre é o melhor piloto com a melhor motocicleta o vencedor.

A beleza do motocross vem exatamente da complexidade que representa a alternância de terrenos – lama, areia, terra e pedras – e de traçados, que torna o resultado final de cada Grande Prêmio uma verdadeira loteria.

Neste competitivo ambiente a Honda é protagonista desde 1979, quando com o britânico Graham Noyce ao guidão da Honda CR 500 conquistou o Mundial de Pilotos e de Construtores. Desde então, foram nada menos do que 29 títulos no Mundial de Pilotos e 31 no Mundial de Construtores.

Tempo de ídolos como André Malherbe, Dave Thorpe, Eric Geboers, Jean-Michel Bayle, Stefan Everts, que com suas lendárias CR 125, 250 e 500 abriram o caminho para a evolução que resultou na atual família Honda CRF, motocicletas de novo conceito técnico, mas que mantém a extrema competitividade desde sempre demonstrada pelas máquinas Honda nas pistas de motocross de todo o planeta.