Encontrar uma concessionária

A vida (de moto!) começa aos 40 – PARTE 2

Na estrada

O mundo é pequeno para quem tem uma motocicleta. Confira dicas de viagens e roteiros para que a sua aventura seja perfeita.

A vida (de moto!) começa aos 40 – PARTE 2

Na estrada 22/03/2019

A primeira viagem de José Albano com sua Honda ML 125 tinha tudo para ter sido a última: o caminho de Teresina a Fortaleza foi um tormento. E, durante os três dias que durou a viagem de 600 km, a inexperiência cobrou seu preço.  

Despreparado para fazer uma viagem tão grande, Albano sofreu além da conta com paradas frequentes, que esticaram demais o tempo na estrada, e as noites mal-dormidas nos dormitórios de postos de combustível, junto com caminhoneiros, mosquitos e muito barulho.

Chegar ao destino pôs fim a um pesadelo que, paradoxalmente, deu início a um sonho: a parte ruim foi esquecida e as belas imagens do caminho tinham marcado seus olhos. Aquela primeira viagem de moto – que tinha tudo para ter sido a última – grudou em sua mente como uma música-chiclete que não sai da cabeça! Além disso havia o belo material fotográfico produzido no percurso, que podia virar fonte de renda.   

Quando percebeu, José Albano estava sentado na varanda olhando para a moto, imaginando em quantos outros tantos lugares aquela pequena máquina poderia levá-lo e quantas fotos isso poderia lhe render. Seria o caso, talvez, de trocar a ML 125 por uma moto maior?

O impasse levou o inexperiente motociclista a fazer o que é necessário nestes casos: estudar o assunto, buscar informação. O livro “Motorcycle Touring”, do autor norte-americano Bill Stermer, – na época (anos 1980) uma espécie de bíblia do mototurista – caiu no seu colo.

A primeira coisa que José Albano aprendeu lendo o livro de Stermer foi desmistificar o conceito de “moto de viagem” que, de acordo com o autor, é “qualquer moto que seja capaz de te levar para dormir em outra cidade”. Tal afirmação era tudo o que ele precisava ouvir naquele momento: trocar a ML 125 por uma moto maior era uma despesa que não combinava com aquele momento da vida.

E Albano começou a planejar e fazer viagens, curtinhas no princípio, mas que como veremos mais adiante foram crescendo e o levaram a lugares que pareciam metas inalcançáveis naquele início. A experiência ruim da viagem de estreia, do Piauí ao Ceará ficou no passado. As dicas do livro de Stermer e a inventividade de Albano o fizeram criar um estilo de viagem essencial, praticamente autossuficiente.

A Honda ML 125 não apenas levaria seu dono, mas também seu dormitório, a cozinha e a essencial bagagem. Essencial para, sem pressa sem depender de quase ninguém ir cada vez mais longe. De poucos dias as viagens passaram a durar meses. O Brasil ficou pequeno para Albano e sua ML 125...