Encontrar uma concessionária

Dicas para você comprar sua primeira moto

Primeiros passos

Nem todo começo tem que ser difícil: a experiência de quem sabe para aqueles que querem e precisam ficar sabendo.

Dicas para você comprar sua primeira moto

Primeiros passos 01/07/2020

A compra da moto nº 1 de sua vida deve ser exata já que a primeira moto a gente nunca esquece. A lembrança dessa primeira máquina deve trazer à memória momentos felizes e, para isso acontecer, é fundamental escolher direito. Abaixo, três dicas para comprar uma moto, nova ou usada, sem errar, para justamente começar sua vida de motociclista com o pé direito.

1) SEJA RACIONALComprar uma moto tem um grande componente emotivo. Mas é exatamente disso que você deve fugir na estreia. Não dê mole para delírios de grandeza, pense pequeno, pois se é sua primeira moto, experiência você não tem. Tamanho demais, peso demais, potência demais – que quase sempre vem junto com $$$ demais! – o que não combina com aprendizado. Não se leve por design, status ou palpites insensatos, escolha modelos leves, fáceis e simples. Suba a escada sem fugir do 1º degrau.

2) NOVA OU USADA? Comprar moto 0km tem aquele componente delícia, o da máquina novinha, uma bobeira sob o ponto de vista racional mas... importante no aspecto técnico, pois moto 0km é perfeita, e tem garantia. Mas quem sabe do seu bolso é você, e as vezes ele não chega lá. Não esquente: concessionárias autorizadas oferecem opções de pagamento parcelado via consórcio ou financiamento. Se você optar por uma moto usada, também é possível financiá-la. Nas motos usadas procedência é tudo que você tem de buscar. Comprar a moto daquele amigão cuidadoso, e que além de tudo fará um precinho camarada é um sonho. Na ausência desse ser maravilhoso, a concessionária resolve te vendendo uma moto usadas com garantia e submetida à apurada revisão, ou seja, uma compra sem susto. Ao comprar de um particular, o melhor lugar para tirar a dúvida sobre o estado geral da moto é sempre a oficina autorizada enquanto a vistoria cautelar, atualmente obrigatória em toda a transferência de propriedade de veículos, apontará eventuais problemas na papelada (licenciamentos passados, multas e etc...).

3) SCOOTER, STREET OU TRAIL? – Comece com modelos leves, fáceis e que não exijam grande habilidade. Três tipos de máquinas se encaixam nesses parâmetros, cada uma com suas qualidades e características. Vai rodar exclusivamente na cidade e não se acha muito habilidosa (o)? Escolha uma scooter Elite 125, que facilita a vida de quem começa por não exigir lidar com pedal de câmbio e embreagem, pois é tudo automático nela – é só acelerar e frear!  A Biz também é boa opção, já que a embreagem é automática. Ambas ganham das motos na facilidade em estacionar/manobrar e na praticidade, pois todas tem compartimento sob o banco para levar capacete. E quando ele está na cabeça, cabe a bolsa, mochila ou o que for. Porém, se você for rodar em vias expressas ou pensa em pegar uma rodovia de vez em quando, uma CG 160 é perfeita. Tem melhor estabilidade em velocidades acima dos 80 km/h, principalmente se você levar alguém na garupa. Para modelos trail tipo NXR Bros vale o mesmo que foi dito para a CG 160 com um fator a mais: ela engole pavimentação ruim sem reclamar.