Encontrar uma concessionária

Endurance: a história da Honda invencível

Na Competição

Seja no asfalto, na terra, na lama ou na areia, um bom piloto deve estar preparado para enfrentar qualquer competição e corrida de moto. Esse universo radical está no DNA da Honda e realmente é para aqueles que são movidos pelo desafio. Acompanhe conteúdos especiais sobre os campeonatos nacionais e internacionais de motovelocidade e motocross como MotoGP, SuperBike e muito mais!

Endurance: a história da Honda invencível

Na Competição 27/09/2021

O anúncio de que a Honda iria ingressar em competições internacionais foi dado através da famosa Carta de Soichiro Honda, datada de março de 1954. Da decisão à ação, cinco anos se passaram, período marcado por uma profunda preparação que resultou em enorme sucesso.

De exótica marca japonesa, a Honda passou à condição de líder nas vendas e nas pistas, onde conquistou 34 títulos mundiais em cinco categorias diferentes, e 138 vitórias em Grande Prêmios.  

Este domínio absoluto durou até o inesperado anúncio, no final de 1967, da retirada da Honda das competições, uma decisão que trouxe alívio para as marcas adversárias. De fato, a Honda não precisava mais provar nada, e decidiu focar em novos desafios.

A pausa na atividade esportiva da Honda durou pouco, até 1975, quando os importadores europeus sinalizaram que outras marcas estavam conquistando mercado através de conquistas na categoria Endurance, as corridas de longa duração.

A mais famosa dessas corridas, as 24 horas de Bol d’Or, disputada em Le Mans, na França, reunia um incrível público de mais de 200 mil pessoas. Tal popularidade era fácil de entender: as motos que competiam eram derivadas de série, muito parecidas com aquelas encontradas no estacionamento dessas provas. Ou seja, o público valorizava ver a própria moto – ou algo bem próximo disso – vencer uma corrida de 24 horas.

A Honda não titubeou e decidiu voltar às pistas. Formou o HERT – Honda Endurance Racing Team, e arregaçou as mangas, usando como ponto de partida o motor de 4 cilindros em linha da CB 750 Four, aumentando sua capacidade cúbica para 941 cc, dotando-o de um cabeçote de duplo comando. No começo de 1976 a moto para a Endurance estava pronta, e foi batizada de RCB 1000, ou seja, a “Racing” CB.

A máquina imediatamente se tornou vencedora, e a HERT ficou conhecida como “A Armada Invencível”. Nos três anos em que a Honda tomou parte do European Endurance Championship, de 1976 a 1978, a RCB 1000 venceu nada menos que TODAS as corridas.

No cômputo geral, incluindo as competições extracampeonato, a RCB 1000 venceu 24 das 26 corridas em que tomou parte em três anos, e o ponto alto deste absoluto domínio ocorreu na última vez em que a Honda tomou parte das 24 Horas de Bol d’Or como equipe oficial, quando nada menos que oito Honda RCB 1000 ocuparam as 10 primeiras posições.

Depois de tamanho domínio e três títulos de construtores consecutivos, a Honda decidiu que a missão da HERT - Honda Endurance Racing Team, estava completa. A gestão das RCB 1000 vitoriosas foi dada às concessionárias Honda, que continuaram vencendo no ano seguinte. Já o conhecimento técnico acumulado resultou em modelos que entraram para a história: a CB 900F Bol d’Or e a CB 750F, que com seus motores de duplo comando derivados da RCB 1000 se tornaram sucesso de vendas imediato em todo o planeta.