Encontrar uma concessionária

Honda Shadow: a custom de olhos puxados

Clássicos

Momento nostalgia: as motos que fizeram história mundo afora.

Honda Shadow: a custom de olhos puxados

Clássicos 18/01/2021

Lá pela metade dos anos 1990 as motos estilo custom ganhavam cada vez mais força no Brasil, seguindo uma tendência evidente no resto do planeta. Sensível aos desejos de seus clientes, a Honda não perdeu tempo, incialmente oferecendo modelos importados, mas logo dando início à produção da Shadow no Brasil.

Entre as diversas versões do consagrado modelo disponíveis mundo afora, com motores bicilíndricos em V e capacidades variando de 500 a 1.100cm3, a escolha recaiu sobre a VT 600C, também conhecida como VLX 600, cujos primeiros 28 exemplares saíram da fábrica da Honda em Manaus, AM, em agosto de 1997.

Dona de um design marcante, cheio de caráter, e totalmente fiel ao estilo custom, a receptividade desta Shadow – nem grande nem pequena, simplesmente na medida! – não poderia ter sido melhor: ela era a custom que todos queriam em termos de estilo, mas seu verdadeiro diferencial era a tecnologia. O motor V2 a 52º, dotado de refrigeração líquida, comando simples no cabeçote e três válvulas por cilindro, trazia modernidade a um segmento acostumado a soluções técnicas bem mais conservadoras.

Os 4,9 kgf.m de torque máximo a apenas 3.500 rpm, o baixo índice de vibrações e um câmbio de cinco marchas muito bem escalonado, permitiam à VT 600C Shadow Made in Manaus uma performance excelente, aliada a uma grande confiabilidade e economia. Outro destaque era a ergonomia, que fez dela uma moto reconhecida pela versatilidade, excelente para viagens mas também para uso urbano, no dia a dia.

A Honda Shadow 600 VT C foi produzida de 1997 até 2005, ano em que foi substituída pela VT 750 Shadow, uma moto que representou um salto à frente não só em termos técnicos, mas também uma pequena revolução estética.

Além do motor maior – mas ainda o confiável V2 a 52º, agora com 6,4 kgf.m de torque máximo e dotado de escape 2x1 – foram acrescidas atualizações importantes. A transmissão final passou da corrente ao eixo cardã, e na suspensão traseira, dois amortecedores entraram no lugar do sistema monochoque da VT 600C. Pneus mais largos e o aro 17 polegadas na dianteira em vez do aro 19 mudaram o caráter da custom da Honda.

No design, a VT 750 Shadow ficou mais clássica, imponente, com para-lamas maiores e envolventes, e o grande tanque de combustível recebeu em sua porção superior o painel de instrumentos, formado por um vistoso velocímetro circular. O motor mais poderoso e as modificações na parte ciclística deixou esta 2ª geração das Shadow nacionais mais gostosa de pilotar, e ainda mais confortável em uso estradeiro, o preferencial para motos custom.

Quatro anos depois, na versão 2009, uma importante atualização técnica foi incorporada à Honda Shadow 750: a substituição do carburador pelo sistema de injeção eletrônica PGM-FI, uma alteração que foi acompanhada pela mudança do sistema de escape, de 2x1 para 2x2, e detalhes como as plataformas para os pés do condutor substituindo as pedaleiras.

A derradeira evolução na VT 750 Shadow aconteceu em 2011 e visou especialmente a parte estética, com a troca da roda dianteira para uma de 21 polegadas e consequente reformulação no design, que deixou o modelo mais “chopper”. Na técnica, freios C-ABS e a revisão na parte ciclística resultaram em drástica redução de peso, o que melhorou o desempenho global do modelo, que assim permaneceu até o último ano em que foi produzida, 2014.

Honda Shadow, em qualquer versão, é atualmente uma moto cobiçada tanto pelos amantes das custom, que veem nela uma moto de qualidades dinâmicas superiores às de modelos atuais deste segmento, como também por colecionadores, que sabem que o modelo é uma verdadeira “cult bike”, uma máquina de valor histórico crescente.

No arco de seus mais 18 anos em produção, nada menos do que 31.735 Shadow saíram da linha de montagem da Honda em Manaus. A maioria esmagadora destas Shadow continua rodando, o que comprova sua alta qualidade técnica e construtiva como também a personalidade apaixonada dos donos por este tipo de moto, uma característica indissociável do universo custom.